Tese: por um PSOL de luta, radical e pela base

Vive-se a catástrofe e barbárie capitalista escancaradas pela pandemia. Mais de 3,22 milhões de pessoas mortas, vítimas da Covid-19 e do sistema capitalista. A crise aguda provocada pelo capitalismo tem um fundo estrutural e repercute sobre todas as dimensões da vida: econômica, social, ambiental, cultural e política. Seus efeitos mais perversos são: rebaixamento brutal das condições de vida dos trabalhadores, trabalhadoras e de todas as pessoas oprimidas; e uma enorme crise ambiental, agravadas ainda mais pela pandemia e pelo descaso dos governantes para com a saúde e a vida. Está comprovada a inviabilidade desse sistema, não só para a classe trabalhadora, mas para a humanidade: mesmo em plena pandemia não se cuida da saúde e da vida de grande parte da população, mas sim dos lucros dos grandes laboratórios e empresas de saúde. O exemplo dos EUA como epicentro da pandemia descontrolada significa um grande golpe para o imperialismo e sua ideologia dominante.

Ler mais

Lançado o Movimento Esquerda Radical

O vitorioso Seminário Nacional realizado ontem, 15, oficializou a criação do Movimento Esquerda Radical, composto pelas organizações Alternativa Socialista, Grupo de Ação Socialista, Liberdade e Revolução Popular, Luta Socialista, Princípios Revolucionários da Ideologia Socialista, PSOL Pela Base e Socialismo ou Barbárie, contando com a participação de referências e organizações regionais e nacionais convidadas.

Ler mais

Argentina: XII Congresso Nacional do MST

Nos dias 1, 2 e 3 de abril, durante a semana santa, realizamos um novo congresso nacional do MST – Movimento Socialista das e dos Trabalhadores. Com um rígido protocolo sanitário que incluía exames prévios, distanciamento permanente, uso de álcool e sem alimentos, delegados de todo o país discutiram os informes sobre a situação política internacional e nacional, a construção do MST e outros documentos submetidos a debate ao longo do período pré-congressual. Foram vários meses de debate democrático e coletivo de toda a militância, ao mesmo tempo em que intervinha com grande força nos acontecimentos políticos e na luta de classes que os trabalhadores e o movimento popular vivenciam. Depois de um ano complexo, atravessado pela crise e pela pandemia, os delegados do MST, eleitos nas diferentes regiões do país pela militância, debateram com grande compromisso e entusiasmo.

Ler mais

Manifesto Comunista: um morto que não para de nascer

Em 21 de fevereiro de 1848, o Manifesto Comunista foi publicado em Londres. Em uma Europa que passava por uma profunda crise econômica, mergulhando milhões de trabalhadores e camponeses na miséria, a classe trabalhadora dava seus primeiros passos na organização e na consciência, abraçando as ideias revolucionárias. As classes dominantes estremeceram com o “espectro do comunismo”. O Manifesto dá voz e corpo ao fantasma, dotando a classe trabalhadora de um programa de enfrentamento ao capitalismo e luta pelo socialismo. Desde então, é um dos textos mais traduzidos e editados da história. E embora possa ter sido considerado morto ou desatualizado mais de uma vez, continua sendo uma ferramenta fundamental para aqueles que, como nós, enfrentamos o capitalismo e lutamos para transformar a realidade.

Ler mais