Na madrugada deste domingo (01/12), a Polícia Militar paulista invadiu a comunidade de Paraisópolis, Zona Sul de São Paulo, enquanto ocorria um baile funk. Os vídeos, as imagens e relatos dos moradores mostram que a PM agrediu a multidão que participava da festa que resultou na morte de nove pessoas e diversos feridos que foram pisoteadas após ficarem encurraladas nas vielas da comunidade.

Essas ações fazem parte da política impulsionada por Doria e Bolsonaro de criminalizar a juventude periférica e dá carta branca para que a polícia continue assassinando a população nas periferias das grandes cidades.

Nos solidarizamos com as famílias e amigos das vítimas e exigimos punição aos mandantes, renúncia da cúpula da segurança pública de São Paulo e afastamento dos policiais que participaram desse massacre, além da imediata indenização às famílias. PELO FIM DA POLÍCIA MILITAR!

Assinam:

  1. Luta Socialista – Tendência Interna do PSOL

Contato: lutasocialista@yahoo.com.br

  • Construção Socialista- Corrente Interna do PSOL.

Contato: socialistaconstrucaopsol@gmail.com

  • Alternativa Socialista- Tendência Interna do PSOL.

Contato: alternativasocialistabr@gmail.com

  • Socialismo ou Barbárie – Tendência Interna do PSOL.

Contato: socialismooubarbarie@gmail.com

  • Liberdade e Revolução Popular – LRP

Contato: liberdadeerevolucaopopular@gmail.com

  • Corrente Socialista dos Trabalhadores – CST/PSOL

Contato: combatesocialista@gmail.com

  • Unidade Internacional dos Trabalhadores – UIT-QI
  • Liga Internacional Socialista – LIS
  • Corrente Internacional Socialismo ou Barbárie – SoB
  • Movimento Socialista dos Trabalhadores – MST da Bolívia.
  • Reagrupamento hacia el PST e La Marx – Argentina
  • Mandato do Vereador Babá – Psol Carioca
  • Mandato ecossocialista e libertario Renato Cinco – Psol Carioca
  • Plínio de Arruda Sampaio Júnior – Professor UNICAMP
  • Héctor Chinche Medina Pte Asociación NAC de ex presos políticos Héroes de Trelew.
  • Alejandro Benedetti periodista y militante del reagrupamiento hacia el PST y la Marx de Argentina – Editor revista Socialismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *