Por V.U. Arslan

É muito difícil tentar falar sobre uma lenda como Trotsky em um pequeno artigo, mas é evidente que temos que falar mais sobre Trotsky como uma estrela revolucionária para inspirar e radicalizar a nova geração jovem.

As qualidades que fizeram de Trotsky um líder revolucionário são realmente impressionantes: ele foi um dos dois líderes da Revolução de Outubro, com Lenin, o lendário comandante do Exército Vermelho, o presidente e líder dos soviets em 1905 e 1917, o escritor dos textos mais importantes do Comissariado de Assuntos Exteriores e da Internacional Comunista na época de Lênin, ele também foi um orador incrível e um grande teórico, um grande intelectual e organizador cuja força é reconhecida até pelos inimigos. Ele dedicou sua vida à classe trabalhadora e ao comunismo, travando as batalhas mais difíceis…

Se a importância de Trotsky estivesse limitada a isso, ele sem dúvida continuaria sendo lembrado pela próxima geração como um grande líder comunista. Mas, como Lenin, Trotsky vai além de ser um líder na história. Suas ideias revolucionárias e sua luta trouxeram à luz a luta revolucionária do século XXI.

A validade do leninismo é a validade da teoria do partido leninista e a necessidade de um partido de vanguarda dos revolucionários para que a classe trabalhadora assuma o poder. A validade das idéias de Trotsky vem da teoria da revolução permanente. Essa teoria promove a revolução marxista e expressa a única forma de sair do sistema capitalista e imperialista. Além disso, enfrenta a degeneração stalinista, que ainda é bastante comum. Eu vou explicar.

O destino dos soviets determinou o destino de tudo

Os soviets emergiram como um corpo orgânico das grandes greves gerais do movimento da classe trabalhadora (primeiro em 1905). Sua assembleia e seu órgão de governo eram representantes de trabalhadores eleitos desde baixo. Quando os soviets assumiram o poder em outubro de 1917, liderados pelo partido bolchevique, dependiam da expansão da revolução. Os bolcheviques foram indubitavelmente liderados por Lenin, que sabia muito bem que não poderia continuar como uma ilha socialista no meio de um oceano imperialista e capitalista e, que dois inimigos mortais (a ditadura da burguesia e a ditadura do proletariado) não poderiam coexistir. Quando as esperanças foram perdidas e as revoluções na Europa foram derrotadas, os bolcheviques resistiram à contrarrevolução com unhas e dentes. Embora Trotsky tenha derrotado o Exército Branco, apoiado por 17 países imperialistas contra o Exército Vermelho na lendária guerra, a vitória causou danos fatais. Na Rússia, onde os efeitos destrutivos da Primeira Guerra Mundial ainda estavam presentes, 7 milhões de pessoas morreram, a economia soviética entrou em colapso e as cidades foram esvaziadas durante a guerra civil.

A guerra foi vencida, mas os soviéticos sofreram ferimentos fatais. O poder dos trabalhadores entrou em colapso por dentro, não por forças externas e pela contrarrevolução da burguesia ou dos remanescentes do feudalismo. A base material da corrupção foi o colapso moral e físico e a atomização da classe trabalhadora durante os longos anos de guerra. A partir do momento em que o princípio de classe do novo regime foram dissolvidos, os princípios revolucionários tornaram-se inviáveis. A corrupção era a característica fundamental em todos os lugares e a sua principal tendência era a burocratização. Os princípios igualitários foram abandonados e a palavra dos burocratas era superior em todos os lugares. O líder da elite burocrática era Stalin. Não foi a revolução que criou Stalin, uma personalidade histórica que não era nem um teórico, nem um orador, nem um estrategista, mas o enfraquecimento e burocratização da revolução. Lenin deu sua última luta antes de morrer contra a burocratização e Stalin. Essa última luta pode ser vista em suas últimas cartas e documentos detalhados. O leitor verá nesses documentos que Lenin arregaçou as mangas para liquidar Stalin. Em uma das cartas de Lenin, conhecidas como seu testamento (isso foi mantido em segredo pelo público e pelo partido), está escrito que Stalin deveria ser destituído do cargo. No entanto, Lenin foi incapaz de terminar sua última luta e faleceu incapaz de sobreviver à última crise. A tarefa de continuar a última luta de Lenin agora caía sobre os ombros de Trotsky.

A morte de Lenin foi um momento de inflexão, já que, a partir desse momento, a casta burocrática liderada por Stalin realizou um grande ataque contra o marxismo revolucionário. Obviamente, não foi possível atacar diretamente Marx ou Lenin, portanto esses ataques ao marxismo-leninismo se concentraram na figura de Trotsky. Por exemplo, o objetivo da revolução socialista mundial, um dos princípios mais claros do marxismo, era agora considerado um símbolo de “desvio trotskista” e punido em todos os lugares. Stalin e sua facção começaram a atacar a idéia de igualitarismo. Assim, seus privilégios burocráticos não podiam ser criticados. Como resultado, a teoria do “socialismo em um só país” foi introduzida e assim sustentada a hipótese de coexistência com o imperialismo. Como resultado, o objetivo de espalhar a revolução pelo mundo foi abandonado. A conseqüência natural foi o patriotismo, que nada mais é do que besteira anti-marxista. Isso gradualmente se tornaria nacionalismo russo e a Rússia novamente se tornaria uma prisão dos povos. O anti-semitismo foi usado até nas campanhas de difamação contra Trotsky. Os povos oprimidos enfrentariam pressões que levariam à limpeza étnica. Por outro lado, o autoritarismo burocrático foi formado como expressão do comunismo como norma.

O marxismo-leninismo tornou-se assim o seu oposto. Quando Stalin preparou o primeiro plano quinquenal, seu objetivo era criar uma Rússia forte. Assim, o socialismo foi reduzido a um plano de desenvolvimento econômico. Assim como na Rússia stalinista, o governo do PCCh na China, ainda em vigor hoje, é a prova de que o stalinismo é uma ideologia nacionalista de desenvolvimento. Nesses regimes, trabalhadores e jovens não tinham direitos. Como resultado da exploração excessiva, a Rússia se tornou um Estado policial, pois, se trabalhadores e jovens encontrassem uma oportunidade, as consequências seriam devastadoras. Consequentemente, as pessoas acreditam que o comunismo é equivalente ao totalitarismo, um discurso que a burguesia continua a usar até hoje. Em outras palavras, o comunismo conhecido é o stalinismo e não as idéias e práticas igualitárias dos bolcheviques.

Se os stalinistas, que agora apoiam o feminismo, soubessem um pouco da história, abandonariam Stalin ou o feminismo, pois a Rússia de Stalin destruiu o progresso feito na Revolução de Outubro sobre os direitos das mulheres e da comunidade LGBT. As medalhas de maternidade foram dadas a mulheres que deram à luz a 10 filhos, enquanto a homossexualidade foi declarada crime e uma degeneração burguesa.

Em 1928, os soviets foram abolidos pelas leis da URSS; O poder no local de trabalho estava agora nas mãos dos gerentes. A contrarrevolução reverteu todas as conquistas da Revolução de Outubro. Então começou a liquidação dos quadros da revolução. Documentos oficiais da URSS indicam que 1.548.336 pessoas foram presas e 681.682 delas foram executadas entre 1937 e 1938. Segundo os historiadores, isso equivaleria a 1.000 execuções por dia, embora os dados oficiais da URSS reduzam o número de mortes (pelo menos) ao meio. Podemos não saber o número exato, mas é certo que o assassinato de mais de um milhão de comunistas é um dos maiores genocídios políticos da história. Não apenas aqueles na Rússia, também destruíram os principais quadros dos partidos comunistas do mundo que resistiram ou tiveram o potencial de resistir. Dessa maneira, quase todos os movimentos operários e até movimentos de libertação nacional eram controlados pelos stalinistas através de partidos comunistas pelo mundo e dos sindicatos que dirigiam. Os partidos comunistas se tornaram o meio de política externa da Rússia nacionalista.

O único inimigo do stalinismo foi a revolução. A expansão de possíveis revoluções os assustaram porque eram déspotas privilegiados e podres. Os ventos da revolução poderiam alcançar seu próprio país, como em Praga, em 1968. Então sabotaram todas as revoluções. Em todo o mundo, os burocratas dos partidos comunistas e dos sindicatos que controlavam não hesitavam em trair as revoluções nos momentos mais decisivos. Não foi uma traição única, mas uma cadeia de traições à revolução mundial: China, entre 1925 e 1926; Espanha, em 1936; Grécia, entre 1943 e 1948; Itália e França logo após a Segunda Guerra Mundial; Indonésia, em 1965; França novamente em 1968; Chile, em 1973; Portugal, em 1974 e Irã em 1979 sofreram a traição com sangue.

Mas há exemplos, como a revolução cubana de 1959 que conseguiu se destacar. Em 2005, Fidel Castro disse que se Stalin vivesse, ele não teria permitido a revolução cubana. Em suma, a URSS stalinista nunca permitiu que essas idéias abalassem o status quo do mundo. Stalin tentou se tornar a superpotência desse status quo e fez dos partidos comunistas a ferramenta de sua política externa nacionalista.

Trotsky leva a luta em seu ombro

Podemos falar de duas grandes destruições nas mãos da contrarrevolução stalinista. A primeira é a destruição física: o colapso do poder dos trabalhadores na Rússia e a contenção de revoluções em todo o mundo, cooperando com os capitalistas. A segunda é o colapso ideológico, ou seja, as distorções stalinistas que as novas gerações foram ensinadas sob o nome de comunismo. Antes de tentar resumir: a guerra contra o igualitarismo resultou na chamada teoria do “socialismo em um só país”. E essa calúnia é seguida pelo patriotismo contra o internacionalismo, a redução do socialismo ao desenvolvimento nacionalista, a construção de um Estado poderoso e um regime autoritário de partido único, a compreensão do estágio democrático contra a revolução socialista, a perseguição aos povos oprimidos, a eliminação dos direitos das mulheres, o elitismo, burocratização, a cultura da violência dentro da esquerda, a alienação dos trabalhadores e oprimidos, a aliança com os capitalistas imperialistas, a colaboração de classes para elogiar Hitler, uma compreensão mecânica e vulgar do materialismo dialético e a aceitação implícita do positivismo burguês…

A luta incessante que Trotsky realizou com a bandeira vermelha da Oposição de Esquerda e da Quarta Internacional também foi a luta pela defesa do marxismo e leninismo. Sem a luta de Trotsky e seus camaradas, o conteúdo real do marxismo revolucionário só poderia ser objeto de obras acadêmicas que algum intelectual escreveria. Graças a Trotsky, a bandeira do marxismo revolucionário passou para as mãos das gerações seguintes e da nossa.

No período 1989-91, a URSS e os regimes do Bloco Oriental se dissolveram um após o outro. A história refutou todos os crimes desses regimes. O capitalismo imperialista transformou essa falência em uma grande campanha para atacar o marxismo. Quanto à esquerda, o legado do stalinismo tem duas tendências. Alguns stalinistas continuaram a defender cegamente esse terrível legado. Uma grande parte virou-se para a direita e participou da campanha burguesa, odiando os pecados do stalinismo e do marxismo. Além daqueles que abandonaram o marxismo e se juntaram ao campo inimigo burguês, alguns rejeitaram a tradição do marxismo-leninismo, argumentando que o paradigma de classes não era mais válido. Essas pessoas adotaram um tipo de política da sociedade civil sob a influência do pós-modernismo. Também vale a pena notar que existe um grande setor que leva a motivação ideológica da burguesia (política de identidade, liberalismo de esquerda) enquanto ainda afirma ser revolucionário independentemente do stalinismo.

Para aqueles que insistem no marxismo e no leninismo e rejeitam a posição burguesa da direita (em outras palavras, que criticam o stalinismo pela esquerda), Trotsky é o único caminho. Este é o caminho para enfrentar os novos desafios que o século XXI traz. O trotskismo é baseado na perspectiva de classe marxista e nunca de acordo com a burguesia. Luta pela idéia de expandir a revolução socialista em todo o mundo, defende o papel central do partido leninista e do partido mundial (internacional), rejeita as chamadas etapas democráticas e a burguesia progressista e, como alternativa, revela a teoria da revolução permanente. Enquanto o capitalismo prevalecer, o legado de Trotsky representará o único caminho revolucionário.

Se queremos sair vitoriosos no século XXI, isso só é possível com Trotsky, cujo legado é caracterizado pelos fundamentos do marxismo e leninismo e que consolidou a linha da revolução permanente. O capitalismo imperialista continua a governar com toda a sua brutalidade, de modo que a principal contradição não mudou. Enquanto a contradição entre trabalho e capital continuar, a questão da revolução proletária continuará. Por outro lado, não é possível prosseguir neste século sem levar em conta a ideologia da URSS que dominou o mundo durante o último século em nome do chamado “comunismo”.

Hoje, rebeliões estão incendiando nas ruas ao redor do mundo. As pessoas querem trabalho, pão, um futuro, uma vida sem opressão e alienação e uma vida com paz e fraternidade. Tudo isso é apenas um sonho dentro do capitalismo. As massas, que lutam por suas demandas, devem definitivamente superar os limites do capitalismo, uma vez que não é possível alcançar tudo isso no capitalismo. As massas que lutaram para satisfazer suas demandas devem ir além do capitalismo. Qualquer revolução democrática ou programa de reforma não pode fornecer necessidades e demandas básicas, porque o problema é o próprio capitalismo.

No Nepal, os maoístas pararam a revolução em 2006 com base na ideia de etapa democrática, o que significa manter os limites do capitalismo. Portanto, nenhum dos problemas que causaram a revolução no Nepal foi resolvido. Além disso, os líderes maoístas tornaram-se políticos burgueses puros e traíram a revolução. Agora o sistema permanece como está. Os maoístas, que afirmam que os problemas sociais podem ser resolvidos sem o poder dos trabalhadores, não destruíram o capitalismo. Os maoístas tornaram-se, assim, os personagens de um momento vergonhoso nas páginas da história.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *