Por Alternativa Socialista – LIS Paraguai

O povo paraguaio, farto dos abusos da casta política corrupta e do privilégio nas relações com os empresários e latifundiários, saiu às ruas para exigir a renúncia do governo e seu gabinete.

A situação desesperadora com dezenas de trabalhadores da saúde e familiares mortos por falta de medicamentos e vacinas para combater o coronavírus, a dificuldade de acesso à educação, a perda de milhares de empregos, a repressão aos camponeses pobres que lutam pela Terra e o esbanjamento Dos 2 milhões de dólares da dívida externa são as causas que obrigaram o povo a protestarem contra o governo, conseguindo logo a demissão de Mazzoleni, Ministro da Saúde.

O povo não se contenta mais com migalhas, os trabalhadores querem a renúncia de Mário Abdo Benitez que, apesar da alta rejeição social que possui, ordenou que a polícia reprima a rebelião popular. Denunciamos ao mundo que, com gás lacrimogêneo, hidrantes, balas de borracha e a cavalaria, tentaram retirar o povo. Assassinaram um jovem lutador, feriram dezenas e deixaram uma corrente de sangue escorrendo pelas ruas de Assunção. O povo não recuou, ao contrário, a convocação espontânea derrotou a repressão e quem recuou foram as forças repressivas. Nós os convocamos a desistirem e baixarem as armas. O inimigo do povo é o governo dos latifundiários e empresários, não a classe trabalhadora e aqueles que lutam.

Convocamos as centrais operárias, as forças políticas de esquerda, as organizações estudantis secundaristas e universitária, os grupos feministas, as federações autogestionárias, camponesas, indígenas e todo o povo a convocar uma grande Greve Geral indefinida com mobilizações de ruas até derrotar o governo corrupto de Mario Abdo Benitez. A maior unidade democrática e combativa é necessária para que os trabalhadores triunfem e as castas políticas não consigam o que querem.

Os militantes da Alternativa Socialista e da Liga Internacional Socialista defendem um governo emergencial dos trabalhadores e do povo, que aplique um programa, um plano econômico de resgate social, que convoque uma assembleia constituinte livre, soberana e democrática para reorganizar o Paraguai em novas bases, sem os empresários, latifundiários, corruptos e repressores, ou seja, um país socialista com democracia para a classe trabalhadora e para o povo.

Declaração urgente contra as ações do governo Mario Abdo e sua polícia repressora

A mobilização popular de 5 de março é a demonstração perfeita de que o sistema capitalista nas mãos de Mario Abdo e seu gabinete não podem mais continuar. A má gestão da pandemia da Covid-19 por parte de todos os poderes do Estado e das instituições burguesas que durante muito tempo não tiveram a capacidade para resolver os problemas das inúmeras crises; abandonando o sistema educacional e todas as outras instituições; cada vez mais mergulhando diferentes famílias na pobreza e na precariedade.

A mobilização de ontem [5/03] refletiu o medo e a impotência que o Estado de Mario Abdo tem contra o poder espontâneo das massas e seu descontentamento. Nós, da Alternativa Socialista, repudiamos o ato violento e cúmplice da Polícia Nacional que protege os interesses da minoria empresarial. Sem hesitação, ao mais leve toque, reprimiram os manifestantes à noite, com balas de borracha, cavalarias, gás lacrimogêneo e caminhões antimotim. Deve-se notar também que a organização espontânea dos manifestantes foi capaz de empurrar a polícia a várias ocasiões, tendo que jogar até “entulhos” enquanto fugia dos manifestantes. A polícia não resistiu e teve que se render à força, convicção e astúcia do povo paraguaio.

É por isso que os alertamos a continuar mobilizando e coordenando ações com todas as forças permanentemente até que todo o gabinete de Mario Abdo e ele renunciem.

Vamos organizar uma Greve Geral com todos os setores e preparar um plano de lutas para expulsar Mario Abdo e todo o seu gabinete!

Por um governo emergencial dos trabalhadores e do povo que aplique um programa econômico de resgate social e que convoque uma Assembleia Constituinte livre, soberana e democrática para reorganizar o Paraguai sobre novas bases, sem grandes empresários, latifundiários, corrupção e repressores.

Para todas as tarefas propostas a serem realizadas, vamos construir juntos uma alternativa política poderosa aos de baixo, anti-capitalista, ecossocialista, feminista e internacionalista.

Junte-se à Alternativa Socialista!