Nosso companheiro da organização da organização A Luta, do Paquistão, e deputado da Assembleia Nacional deste país, está preso desde o dia 26 de maio e não se sabe seu paradeiro. Foi detido após uma brutal repressão militar que deixou três mortos em Waziristão. De acordo com ativistas do Movimento em Defesa Pashtun (PTM),Wazir foi torturado, quebraram suas duas pernas e lhe negam medicamentos que é dependente por conta de pressão alta, diabetes e insuficiência renal. Protestos que exigem sua liberdade são reprimidos em várias províncias e foi decretado estado de sitio em Waziristão do Sul, o distrito pelo qual Wazir foi eleito, onde se teme uma insurgência social. Exigimos o imediato aparecimento com vida e liberdade de Ali Wazir.

Reproduzimos o comunicado da Frente de Esquerda de Lahore, integrado pela A Luta e outras forças.


Declaração da Frente de Esquerda de Lahore

Na manhã de domingo, 26 de maio de 2019, acontecia um protesto no controle militar de Kharqamar em Boyya, Waziristão do Norte. Ali Wazir e Mohsin Dawar, ambos membros da Assembleia Nacional do Paquistão, estavam à frente da caravana desde Bannu para apoiar os manifestantes, que protestam contra os ataques brutais por parte do exército da região.

O protesto, que foi organizado pelos cidadãos contra o assalto a uma mulher, começou no sábado e os trabalhadores do PTM se somaram no dia seguinte.

Se cantavas consignas e houve choque entre os manifestantes e as tropas militares que assediavam a zona. Estas abriram fogo, matando três manifestantes e ferindo 45, de acordo com um comunicado militar. Uma bala das forças estatais feriu Mohsin Dawar.

De acordo com as forças armadas paquistanesas, Ali Wazir e oito de seus companheiros foram levados pelo exército. O comunidade de imprensa das forças armadas acusa falsamente aos deputados e seus companheiros de terem disparada contra os militares.

Mohsin Dawar e Ali Wazir foram eleitos para a Assembleia Nacional em julho de 2018 por Waziristão do Norte e Waziristão do Sul, respectivamente. Meses antes da eleição, ambos surgiram como lideranças populares do PTM.

O PTM vem exigindo o fim do apoio estatal que recebe uma facção talibã na zona, a restituição de cidadãos tribais que foram despejados por operações militares, e o fim dos abusos militares na zona Pashtun.

O deputado preso é marxista e representa o sofrimento e a resistência do povo local contra os talibãs apoiados pelo estado. Treze de seus parentes, incluindo seu pai e irmãos foram assassinados por talibãs.

Os pashtun constituem a terceira comunidade étnica do Paquistão e habitam majoritariamente a zona fronteiriça com o Afeganistão. De fato, esta zona tem sido objeto de representações orientalistas por parte das forças coloniais inglesas durante mais de um século.

A perpetração da violência das forças estatais demonstra o desespero das cúpulas militares para abafar este movimento mediante o controle completo dos meios corporativos, as elites políticas e seus partidos, o regime de direita de Imran Khan e outras forças que controlam.

A Frente de Esquerda de Lahore repudia esta brutalidade e o massacre de populares e ativistas desarmados.

Manifestamos nossa profunda solidariedade e condolências com as famílias e amigos dos mártires que perderam suas vidas hoje e exigimos a prisão dos responsáveis por terem disparado contra os manifestantes pacíficos.

Exigimos:
– A liberdade imediata e incondicional de Ali Wazir e a garantia de sua segurança;
– Que o estado informe o paradeiro de Mohsin Dawar e garanta sua segurança;
– A retirada imediata das forças armadas da zona de Waziristão e o encerramento do estado de sitio;
– A aceitação de todas as demandas genuínas que foram reconhecidas como justas pelos generais e o primeiro ministro em declarações públicas;
– A Frente de Esquerda de Lahore apoia as demandas sociais, econômicas, culturais e políticas que o movimento pashtun tem levantado contra sua opressão, exploração e carências.


Domingo, 26 de maio de 2019

Dr. Lal Khan,
Editor Asian Marxist Review
Farooq Tariq,
Coordenador
Frente de Esquerda de Lahore,
Porta-voz
Partido Trabalhista Awami
Dr. Taimur Rehman,
Secretário Geral
Partido Mazdoor Kissan do Paquistão