A pandemia do Coronavírus avança. Enquanto os ricos e poderosos bem como suas famílias se protegem em mansões, condomínios de luxo, se movem nas cidades em carros particulares, higienizados, quando não em helicópteros e gozam de toda assistência necessária da rede privada de saúde; a maioria dos trabalhadores e do povo pobre vive a insegurança de morar em locais precários, sem infraestrutura adequada, sem saneamento, água tratada, usa transporte coletivo superlotado e depende de um serviço público de saúde sucateado e mal equipado…

A realidade é que o mundo está parando, as pessoas estão morrendo e a culpa é de todos os governos que durante anos TENTAM DESMONTAR OS SERVIÇOS PÚBLICOS com planos de ajustes fiscais e desviaram com a corrupção dinheiro da saúde, enquanto a população, mesmo com o heroico esforço de médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, etc. em sua maioria servidores públicos, durante anos vem amargando a espera por uma consulta, muitas vezes medicação e também de tratamento para curar suas enfermidades.

É um desaforo que em meio a tamanha crise o presidente Bolsonaro e seu sinistro Ministro da Economia Paulo Guedes nos digam que não temos motivos para nos preocupar, que temos que seguir a vida normal e trabalhando, e o pior que tentem aprovar no Congresso Nacional medidas que nos arranquem direitos e privatizem o serviço público.

Chega de angustia e sofrimento! É preciso dar um basta nessa situação! Não pode o povo pobre e trabalhador, responsável direito pela construção da riqueza do país, pagar a atual crise com sua vida enquanto os governos e patrões se protegem do Coronavírus com a riqueza produzida do nosso suor.

Se não podemos sair às ruas para protestar também não iremos trabalhar enquanto a cura para o Coronavírus não for encontrada e a ameaça de morte por contágio não mais existir.

Durante esse período exigimos:

1.            Não pagamento da divida pública aos banqueiros e revogação imediata de todas as reformas que retiram direitos da população (teto dos gastos, reforma trabalhista e da previdência) e o fim de toda anistia de impostos (isenções fiscais) dadas às empresas e multinacionais.

2.            10% do PIB (totalidade de toda a riqueza produzida anualmente no país) para a Saúde Pública que possibilitem o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Concurso público imediato na esfera federal, estadual e municipal para profissionais da saúde em todos os níveis e funções. Dinheiro público para saúde pública!

3.            O país está em emergência sanitária e saúde não rima com lucro. Disponibilização de todos os leitos da Rede Particular de saúde para a população. Os hospitais e clínicas particulares que se recusarem a atender a população devem ser estatizados sem nenhuma indenização.

4.            Investimento maciço em pesquisa de vacinas e remédios, verba para universidades e laboratórios públicos.

5.            Distribuição de comida e itens de higiene em bairros populares

6.            Proibir por lei demissões e suspensões na área pública e privada

7.            Redução da jornada de trabalho, sem redução se salários, com revezamento de turnos. Onde os trabalhadores/as se recusarem a trabalhar por ausência de garantias sanitárias que seja garantido não somente o abono de faltas como a integralidade de salário sem nenhuma perda de direitos sociais nem pagamento de horas não trabalhadas.

8.            SUSPENSÃO IMEDIATA DAS AULAS ESCOLARES em nível nacional com a garantia de todos os direitos trabalhistas para os trabalhadores/as em educação. Para os país e responsáveis que faltarem o trabalho para ficarem com seus filhos exigimos que os mesmos tenham seus dias pagos e sua falta ao trabalho abonada. Garantia de salário para todos os trabalhadores, formais e informais, que tiverem que se ausentar de seu trabalho por motivo de força maior.

9.            Campanha de vacinação residencial contra gripes objetivando imunizar e esclarecer a população acerca dos sintomas e tratamento do Coronavírus.

10.          Pagamento de 1 salário mínimo do DIEESE para todos os desempregados e que não gozem de nenhum direito social.

11.          Disponibilizar para trabalhadores/as moradores de rua vagas nas grandes redes de hotéis, dormitórios e motéis em todas as cidades como mecanismo de proteger a população sem teto e que vive nas ruas das cidades. Os estabelecimentos que se negarem a cumprir essa medida devem ser expropriados e colocados a serviço da população, sem nenhuma indenização.

12.          Distribuição em todos os locais públicos e de grande circulação de produtos e instrumentos que auxiliem na proteção do Coronavírus para conjunto da população.

13.          Congelamento de todas as tarifas de água, luz, telefone, internet. Congelamento de todos os produtos de alimentos da cesta básica.

14.          Congelamento dos combustíveis, gás de cozinha, IPTU e IPVA. Isenção de imposto de renda para quem ganha ate 6 salários mínimos.

São Paulo, 16 de março de 2020.

Luta Socialista/PSOL

Alternativa Socialista/PSOL

Unidos pra Lutar/CSP Conlutas.

Coletivo Feminista Marielle Vive!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *