por Luis Meiners

Contra um pano de fundo de incertezas com uma eleição apertada a ser decidida em um punhado de estados que ainda estão contando votos, Trump disse que ganhou a eleição e acusou um “grupo de pessoas tristes” de querer evitá-lo. Ele argumentou que é uma “fraude contra o povo americano” e “uma vergonha para o país”. Em uma eleição altamente polarizada e judicializada, Trump afirmou que levará o caso ao Supremo Tribunal Federal. A incerteza na cena política cresce.

Uma eleição manobrada nos tribunais

O desenvolvimento das eleições no contexto da pandemia significou um aumento substancial do número de votos pelo correio e também dos votos expressos antes do dia das eleições. Embora ambas as modalidades sejam comumente usadas em eleições nos Estados Unidos, o contexto atual implica que alguns estados expandiram essas possibilidades. Grande parte dos votos que ainda restam por apurar correspondem aos expressos nessas modalidades. Presume-se que isso favoreça o candidato do Partido Democrata por uma ampla margem, o que pode ser decisivo em vários estados onde as margens são apertadas.

Nesse contexto, o Partido Republicano concentrou grande parte de seus esforços nas últimas semanas em uma batalha jurídica por esses votos. Segundo estudo do Stanford – MIT, foram registrados pelo menos 380 ações judiciais relacionadas ao processo eleitoral, vinculadas às mudanças introduzidas pela pandemia. A estratégia da campanha do Trump teve como objetivo reduzir o impacto das medidas que ampliavam a possibilidade de voto pelo correio. Ao mesmo tempo, durante a campanha eleitoral, Trump criticou publicamente essa forma de votar, argumentando que levava à fraude e se recusando a afirmar que reconheceria o resultado eleitoral. Isso resultou em uma contagem de votação por correio de última hora reservada em alguns estados.

Trump e o Partido Republicano se preparam para um cenário como o atual, que os democratas buscaram evitar com uma vitória por larga margem que não se concretizou.

O seguinte

A incerteza sobre o resultado eleitoral será prolongada. Os resultados de estados importantes como Geórgia, Michigan, Carolina do Norte, Pensilvânia, Wisconsin, Arizona e Nevada ainda estavam faltando até a manhã de quarta-feira. Em alguns deles, a tendência parece favorecer Biden, embora por margens muito baixas. Tudo parece indicar que disputas fortes virão nos tribunais.

Tudo isso se desdobra em um cenário de forte polarização, em um ano em que houve uma rebelião histórica. Na madrugada desta quarta-feira, houve algumas mobilizações em cidades como Portland e Washington. Na corrida para o processo eleitoral, alguns sindicatos declararam que resistiriam a qualquer tentativa de Trump de minar o resultado eleitoral e reivindicar uma vitória prematura. A memória das eleições de 2000, em que tudo desceu para a Flórida e os democratas acabaram por conceder a Bush sem luta a derrota de Al Gore, mostra isso apesar da retórica de “defesa da democracia” , o Partido Democrata prefere perder do que questionar um regime não democrático.

Neste momento, o mais provável parece ser um cenário de polarização crescente, entre lutas judiciais e mobilizações nas ruas, com desfecho ainda incerto.

Leia também:

Eleições nos EUA: Resultado incerto


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *