Por Veronica O’kelly

No dia 15 de novembro, serão eleitos Prefeitos e Vereadores em todo o Brasil. As eleições municipais deste ano representam uma grande oportunidade para desferir um golpe contra o governo Bolsonaro e o grupo de ultradireita que há 2 anos celebrava vitórias eleitorais, mas hoje encontram-se em declínio. Em Belém do Pará, o PSOL apresenta Edmilson Rodrigues para prefeito e Silvia Letícia para vereadora, um grande espaço da esquerda se expressa contra anos de políticas impopulares.

Eleições municipais

O cenário internacional de ascenso das mobilizações, derrota eleitoral da direita na Bolívia, participação histórica nas ruas do Chile pela liquidação da Constituição de Pinochet e o importante processo de mobilização nos Estados Unidos que colocou Trump no abismo é, sem dúvida, pólvora para o cenário nacional. A conjuntura de crise e pandemia capitalista, longe de causar derrotas, mostra como os povos respondem com luta e rebelião, não estão dispostos a perderem esta guerra.

De ponta a ponta do país, vemos como fica para trás o período desastroso em que a ultradireita fortificou-se elegendo deputados, governadores e o próprio presidente Jair Bolsonaro. Em pouco tempo, provaram não ser a solução para os grandes problemas sociais que o povo exigia e que, diante da desilusão massiva do projeto petista, acreditaram nos cantos de sereia da direita histórica disfarçada de “nova política”. Por isso, o desgaste não tardou a chegar e hoje, nas principais cidades do país, os seus candidatos estão enfraquecendo.

O exemplo crasso é o fenômeno provocado pela candidatura de Boulos contra o bolsonarista Russomano em São Paulo, colocando a possibilidade concreta de ir no 2º turno contra o atual prefeito de direita e ex-bolsonarista Bruno Covas. Boulos acumula voto da esquerda na principal cidade do país, diferenciando-se das candidaturas de partidos progressistas do regime – PT, PCdoB ou a aliança PDT-PSB. Para derrotar Bolsonaro e a direita nas urnas e nas ruas, o caminho é levantar o programa de luta da nossa classe, das mulheres, das juventudes, dos povos indígenas, negros, LGBTs e o povo pobre.

#AgoraéEla

Em Belém, a candidatura de Edmilson Rodrigues (PSOL) lidera as pesquisas com cerca de 40% de apoio, muito à frente do segundo candidato, com 13%. A possibilidade de vencer no 1º turno se coloca porque o povo está cansado de tantos anos de políticas contra si e apóia massivamente uma candidatura que enfrenta os planos de ajuste e fome, propostos pelos candidatos de direita e representados pelos atuais governos Estadual e Municial.

É nesse cenário que Silvia Letícia, trabalhadora, professora, presidente do Sintepp Belém (Sindicato dos Professores da cidade) e dirigente da Luta Socialista, também corrente do PSOL, lidera uma candidatura à vereadora que cresce a cada dia e se fortalece. Uma candidatura da esquerda radical que coloca como prioridade as lutas feministas, da diversidade, ecossocialistas, antirracistas, da sua categoria docente e de todas as trabalhadoras. Ele será a voz de todas essas lutas na câmara dos vereadores e colocará sua bancada a serviço de todas e todos.

Brigada internacionalista da LIS

A Liga Internacional Socialista (LIS) e nossa seção brasileira, Alternativa Socialista-PSOL, decidimos apoiar e fortalecer sua candidatura nestas eleições. Com uma brigada internacionalista, como nos ensina a nossa tradição, colocamos a seu serviço os maiores esforços militantes para conquistar esta bancada, o que representará um importante avanço para a construção da alternativa política socialista e anticapitalista que estamos construindo.

Nós que construímos o LIS estamos no caminho de fortalecer uma poderosa organização revolucionária internacional, que é uma verdadeira síntese das diferentes e diversas experiências e tradições de construção do partido revolucionário em todo o mundo. No Brasil temos avançado nesse sentido com os companheiros da Luta Socialista-PSOL e, junto com nossa seção brasileira Alternativa Socialista-PSOL, estamos trabalhando para responder com mais força aos diferentes processos políticos que acontecem. É um desafio importante e gratificante que temos pela frente e temos a convicção de que sairemos fortalecidos dessa experiência e com mais força para transformar tudo e constituir uma grande organização revolucionária no Brasil e no mundo inteiro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *