Desde às 4h da manhã desta quarta-feira, 30 de dezembro, após um longo debate e fortes negociações que pioraram o texto encaminhado dos deputados, o Senado finalmente votou favoravelmente ao projeto de interrupção voluntária da gravidez, com 38 votos a favor, 29 contra e 1 abstenção.

Milhares de mulheres, parte da poderosa maré verde que por muitas horas cercaram o Congresso, ocupando longas quadras desde a Avenida Corrientes até a Av. 9 de julio, comemoraram o resultado da votação. Canções, abraços, lágrimas e uma poderosa celebração entre milhares na Praça do Congresso.

Entre elas, e na primeira fila nas grades do Congresso, por mais de um dia esteve a combativa coluna das Juntas y a la Izquierda e do MST que agitava constantemente, acompanhada pelos meios de comunicação, canções com força na luta conquistada nas ruas.

Horas antes, o governo Fernández e a Frente de Todos, que já haviam aceitado modificações nos deputados, abrindo as portas à objeção de consciência institucional, cederam mais uma vez no Senado às pressões do covil de dinossauros e à Igreja, aceitando novas modificações que retiram do texto palavras que fragilizem os direitos de todas. Apesar dessas decisões políticas erradas, a votação é um triunfo das milhares que lutam pelo direito de decidir há anos. E que agora continuaremos lutando, novamente nas ruas, pelo efetivo cumprimento da lei, superando os obstáculos do texto.

Depois de tudo, estando no Congresso ao longo desta longa e emocionante jornada, Cele Fierro, dirigente do MST – FIT Unidad, falou suas primeiras conclusões:

«Se chegamos até aqui foi graças à enorme luta da maré verde, que torceu o braço dos dinossauros do Senado. A Igreja e os políticos anti-direitos foram derrotados. No entanto, é uma vitória contida porque várias limitações foram introduzidas quando o governo cedeu. Devemos estar atentos para que não ocorram manobras e a lei seja realmente aplicada. Apesar do calor sufocante, do cansaço de um grande dia e da alegria por este enorme passo, continuaremos a pressionar pelo verdadeiro direito de decidir sobre o nosso corpo, sem qualquer tipo de limitações ou penalizações. Essa conquista é um impulso para avançar na necessária separação entre Igreja e Estado, e na aplicação efetiva do ESI e do ILE.»

Cele Fierro também se expressou em um vídeo do Congresso:

Representantes do MST – FIT Unidad, também se expressaram nas redes sociais:

Compartilhamos algumas imagens das últimas horas em frente ao Congresso.