Finalmente, após mais de 20 horas de debate no parlamento, o projeto do aborto legal foi aprovado. Em meio a um forte debate, mesmo com aspectos muito criticáveis no próprio projeto, o voto a favor foi festejado com força do lado de fora do Congresso, onde milhares de mulheres que fazem parte da grande onda verde foram ouvidas por longas horas com suas canções.

Minutos após a votação, na porta do Congresso, a dirigente do MST/FIT-Unidad, Cele Fierro, falou suas primeiras conclusões sobre o assunto:

Cele, com Vilma Ripoll, Vanesa Gagliardi, Andrea Lanzette e um grande número de colegas da Juntas y a la Izquierda e do MST, mantiveram uma presença forte e combativa ao longo do dia.

Aborto Legal: para a esquerda é “uma vitória com limitações”

Diante da aprovação da meia sanção no Congresso, as esquerdas afirmaram que se trata de “uma vitória com limitações”. Cele Fierro, MST/FIT-Unidad, com Vilma Ripoll no momento da votação, afirmou sobre: “A meia sanção é uma vitória da maré verde, embora deputados tenham aprofundado as limitações que o projeto inicial já trazia. De fato, a negação de consciência institucional obrigará a mobilizarmos em cada cidade e em cada clínica que tente impedir nosso direito de decidir.
Embora a lei seja um avanço, as pressões político-clericais ignoraram o projeto da Campanha, que não incluíam as limitações. Continuaremos defendendo todos os nossos direitos de gênero, inclusive a separação Igreja-Estado”, concluiu.