Por Alternativa Socialista/PSOL – LIS, Brasil

Mais de 400 cidades no Brasil e no exterior tiveram atos e mobilizações hoje, 19 de junho, contra o governo criminoso de Bolsonaro. O dia 29 de maio marcou o início do processo de levante que expressa a raiva de um povo com meio milhão de mortes pela Covid-19. O 29M foi uma prévia e o 19J dobrou as mobilizações que explodiram nas ruas de capitais e centenas de cidades por todo o país.

Bolsonaro tentou ensaiar uma disputa nas ruas no fim de semana anterior com uma caravana de motocicletas em São Paulo, mas com uma situação desfavorável. Das 13 mil motocicletas que disse estar presente, apenas 6.600 foram confirmadas. Sua versão ficou bem atrás da realidade e as massivas mobilizações de hoje acabam com a mentira.

A mobilização começa a colorir o novo momento no Brasil. Trabalhadores, jovens e os pobres não querem mais esperar as eleições do próximo ano. As direções que apostam na erosão controlada do governo e colocam Lula como alternativa eleitoral dão as costas aos milhões que hoje não têm um prato de comida e sofrem as consequências da pandemia gestada por um assassino como Bolsonaro.

A LIS gritou “Brasil, escuta, sua luta é a nossa luta”

Com atos em diferentes cidades do mundo, a Liga Internacional Socialista protagonizou uma jornada internacionalista de apoio e solidariedade ao povo brasileiro, aderindo à mobilização. Camaradas de diferentes cidades da Argentina, Venezuela, Colômbia, Chile, Estado Espanhol, Turquia e Ucrânia organizaram diversas ações que foram acompanhadas e amplamente divulgadas.

Hoje as ruas foram presentes e redobram a aposta no Brasil. Temos a chance de botar pra fora este governo e todo o seu plano de ajustes e morte se continuarmos a mobilização. Não podemos retroceder, a próxima mobilização deve ser ainda maior e é urgente que as centrais sindicais convoquem uma Greve Geral Sanitária. Devemos fortalecer a nossa luta e construir uma alternativa política para os milhares que hoje saem à luta contra o Bolsonaro e que já não confiam no canto de sereia de um progressismo servil à ordem burguesa. Vamos permanecer nas ruas e organizar a raiva.